Oportunidade para mergulhar na Filosofia clássica e contemporânea

Notícia
Notícias
terça-feira, 16 de agosto de 2016

Em 16 de agosto, comemora-se, no Brasil, o Dia do Filósofo. Para homenagear o profissional que se dedica a reflexões e indagações sobre sociedade, religião, ética, ciência, política e muitos outros assuntos, a Editora Unesp disponibiliza 20% de desconto em todos os livros de Filosofia de seu catálogo até o dia 21 de agosto ou enquanto durarem os estoques.

A ocasião é uma boa oportunidade para adquirir e prestigiar títulos de filósofos como Aristóteles, Jürgen Habermas, Max Horkheimer, Arthur Schopenhauer, Denis Diderot, Jean le Rond d'Alembert, Theodor W. Adorno, Hegel, Walter Benjamin, Wittgenstein e muitos outros que nos ajudam a refletir sobre a existência humana e outras questões. 

Basta consultar no catálogo o item Filosofia. Confira alguns destaques abaixo: 

Coleção Grandes Filósofos
Monk & Raphael montam um painel geral da história da Filosofia, no qual os autores mais influentes são analisados pelos comentadores de maior prestígio em cada área. O objetivo desta coleção é, assim, apresentar ao leitor o pensamento dos principais nomes da Filosofia, por meio de textos ao mesmo tempo rigorosos, elucidativos e concisos. A estratégia aqui é concentrar as análises nos eixos básicos que articulam as obras em questão. Dessa forma, cada filósofo é introduzido pela elucidação de suas principais posições.

Enciclopédia ou Dicionário razoado das ciências, das artes e dos ofícios (5 volumes)
Autores: Denis Diderot, Jean Le Rond d'Alembert | Organizadores: Pedro Paulo Pimenta e Maria das Graças de Souza | De R$ 78,00 por R$ 62,40 cada volume

Pode-se pensar na Enciclopédia, ou Dicionário razoado das ciências, das artes e dos ofícios como um objeto de desejo intelectual que enriquece qualquer biblioteca. E o tem sido desde junho de 1751, um best-seller longevo e símbolo do saber. Sendo a base do Iluminismo, também se constitui em fonte de consulta valiosa para compreender como o primado da razão e do progresso associado ao trabalho sucedeu ao domínio religioso e monárquico. Mas este monumento da civilização Ocidental é igualmente um documento moderno, que pode servir de inspiração para discutir as formas de organização do conhecimento na Era da informação digital. 

Foram traduzidos 298 verbetes, abarcando textos de 37 autores, como Diderot, d’Alembert, Jaucourt, Voltaire, Turgot e Rousseau, em um trabalho de seleção que privilegiou não só a qualidade de argumentação, mas também a literária. E das cerca de 600 imagens primorosamente desenhadas da edição original, nesta estão reproduzidas 173. 

Para a reconstrução do materialismo histórico
Autor: Jürgen Habermas | Páginas: 512 | De R$ 88,00 por R$ 70,40

Oferecendo uma forma específica de pensar o materialismo histórico, este livro constrói novas perspectivas em relação ao estágio moderno do capitalismo e suas crises, ao mesmo tempo que vislumbra possibilidades reais de uma vida em sociedade mais democrática e emancipada.

Exercícios (Askhmata)
Autor: Shaftesbury | Páginas: 192 | De R$ 48,00 por 38,40

Para Shaftesbury, a filosofia, por estar enraizada no que é propriamente humano, ou melhor, no que torna o homem membro de uma ordem natural maior do que ele mesmo, não é algo que se descubra fortuitamente. É resultado de um exercício de disciplina das paixões, de modulação dos sentimentos, de ajuste do corpo aos ditames da razão. Exercício que se realiza na linguagem através da qual o pensamento adquire vida e se torna formador. Estes Exercícios, escritos em prosa límpida, são o testemunho de como o próprio Shaftesbury veio a se tornar filósofo - um dos grandes de sua época, pronto para ser redescoberto pela nossa como um verdadeiro clássico. 

Eclipse da razão
Autor: Max Horkheimer | Páginas: 208 | De R$ 48,00 por R$ 38,40

Em meados da década de 1940, o filósofo alemão Max Horkheimer questiona como evitar que a barbárie, representada pelo nazifascismo e então recentemente derrotada na Europa, retorne ao Ocidente. Para ele, o avanço dos meios técnicos de esclarecimento foi acompanhado por um processo de desumanização, de modo que o progresso ameaça anular o próprio objetivo que deveria realizar: a ideia de homem. Seu objetivo declarado é “investigar o conceito de racionalidade subjacente à nossa cultura industrial contemporânea, a fim de descobrir se esse conceito não contém defeitos que o viciam em sua essência”. Horkheimer toma como ponto de partida a diferenciação entre razão subjetiva e razão objetiva, sendo que a primeira se relaciona à faculdade de calcular probabilidades, de coordenar os meios com um fim, enquanto a segunda remete ao problema do destino humano, à organização da sociedade e à maneira de realização de fins últimos. 

O mundo como vontade e como representação - Tomo II
Autor: Arthur Schopenhauer | Páginas: 824 | De R$ 132,00 por R$ 105,60

Ao articular, em 1818, o seu sistema filosófico em O mundo como vontade e como representação, Arthur Schopenhauer (1788-1860) contrapôs-se às correntes racionalistas do pensamento ocidental. Em 1844, o autor alemão retorna às mesmas questões metafísicas de sua obra mais conhecida, agora mais maduro, expressando-se com mais “liberdade e franqueza”, sem fazer tantas concessões às tradições universitárias, como revelou em uma correspondência pessoal. O resultado é esse Tomo II, cuja tradução, direta do alemão, realizada durante cinco anos pelo professor Jair Barboza, é lançada pela Editora Unesp, reeditando a parceria que resultou no Tomo I (2005). Essa obra pode ser entendida como uma nova forma que Schopenhauer encontrou para expor suas ideias filosóficas, aproximando a metafísica da psicologia. Esses “suplementos”, como o autor os denominava, não constituem tão somente uma revisão madura do texto da juventude, mas uma outra obra escrita desde a mesma estrutura, em que aprofunda a noção de representação: de que toda a existência objetiva das cosias depende do ser que as representa.

 Assessoria de Imprensa da Fundação Editora da Unesp