Dia do Filósofo: aproveite todo o catálogo de filosofia com 25% de desconto

Notícia
Notícias
segunda-feira, 16 de agosto de 2021

Escola de Atenas, pintura de Rafael (Foto: Wikipédia)

No último dia 16 de agosto, comemora, no Brasil, o Dia do Filósofo, este profissional que se dedica a reflexões e indagações sobre sociedade, religião, ética, ciência, política e muitos outros assuntos.

Como forma de marcar a data e homenagear as filósofas e os filósofos do Brasil, a Editora Unesp disponibiliza 25% de desconto em todo o catálogo de Filosofia até o dia 25 de agosto.

A ocasião é uma boa oportunidade para adquirir e prestigiar títulos de nomes fundamentais como Aristóteles, Jürgen Habermas, Max Horkheimer, Arthur Schopenhauer, Denis Diderot, Jean le Rond d'Alembert, Judith Butler, Theodor W. Adorno, Hegel, Walter Benjamin, Wittgenstein e vários outros. Confira a seguir alguns destaques. O catálogo completo está aqui

Discurso de ódio: Uma política do performativo
Autora: Judith Butler | Páginas: 284 | De R$ 52 por R$ 39

“A linguagem poderia nos ferir se não fôssemos, de alguma forma, seres linguísticos, seres que necessitam da linguagem para existir?” Sensíveis às complexidades e à emergência das discussões sobre a liberdade de expressão e cultura do “cancelamento”, as reflexões que decorrem desta leitura são atuais, necessárias e fecundas. Preocupada com a necessidade de aumentar o poder de ação de dominados e subordinados, a autora problematiza algumas importantes questões que permeiam o debate sobre a criminalização do discurso de ódio.

Reconstrução e emancipação: Método e política em Jürgen Habermas
Autor: Luiz Repa | Páginas: 254 | De R$ 66 por R$ 49,50

Por meio das implicações políticas do método reconstrutivo e das implicações metodológicas da teoria do discurso e da teoria da ação comunicativa, o autor retraça a relação estreita entre método e política em Jürgen Habermas. E, ao tratar a política não apenas como deliberativa, com suas diversas concepções de poder, mas também como teoria do direito e da moral, como teoria da sociedade e do desenvolvimento social, demonstra a ligação entre a reconstrução e o interesse pela emancipação que caracteriza a Teoria Crítica de modo geral. A reconstrução se torna assim a via para a compreensão de potenciais de emancipação que surgiram com a modernidade e foram sufocados, mas não eliminados, pela modernização capitalista.

Foucault: Uma brevíssima introdução
Autor: Gary Gutting | Páginas: 196 | De R$ 48 por R$ 36

O livro explora os destaques da vida e pensamentos de Foucault sobre literatura, em particular a de vanguarda; seu trabalho filosófico e histórico; seu tratamento do conhecimento e poder na sociedade moderna; e seus pensamentos sobre sexualidade. Foucault foi um daqueles raros filósofos que se tornou uma figura cult. Da estética ao sistema penal, da loucura e civilização à literatura de vanguarda, Foucault teve o prazer de rejeitar velhos modelos de pensamento e substituí-los por versões que ainda hoje são amplamente debatidas. Uma grande influência na teoria queer e gênero, ele também escreveu sobre arquitetura, história, direito, medicina, literatura, política e, claro, filosofia.

Sem diretriz - Parva Aesthetica
Autor: Theodor W. Adorno | Páginas: 273 | De R$ 59 por R$ 44,25

Publicada originalmente em 1967, Sem diretriz – Parva Aesthetica é uma coletânea de ensaios que contém parte da crítica cultural produzida por Adorno em sua última década de vida. O volume, concebido como uma espécie de introdução a sua Teoria Estética, apresenta novas reflexões sobre cinema e arte contemporânea, ao lado de considerações específicas sobre o destino da arquitetura funcionalista no pós-guerra e sobre o entendimento então predominante a respeito do barroco. No livro, Adorno reavalia as condições sociais de recepção das obras de arte e insiste na atualidade do conceito de indústria cultural. Também se detém sobre alguns dos fenômenos estéticos mais recentes de sua época – como a imbricação das linguagens artísticas e o happening – a partir da relação sempre conturbada com a tradição. Na reflexão dialética sobre a arte de seu tempo, a crítica cultural aparece a Adorno como necessariamente moderna, evidenciando a profunda afinidade entre arte e pensamento.

História Natural
Autor: Conde de Buffon | Páginas: 758 | De R$ 164 por R$ 123

A História Natural é uma das mais importantes empreitadas científicas do Século das Luzes, levada a cabo por Georges-Louis Leclerc, conde de Buffon. Foi publicada em 4 volumes, entre 1749 a 1804. O autor procurou reunir nessa obra todo o conhecimento no campo de "ciências naturais" disponível naquele tempo. Como "ciências naturais" incluíam-se também disciplinas que emergem hoje da ciência dos materiais, da física, da química ou da tecnologia. A presente edição traz uma seleção dos capítulos mais representativos da obra magna de Buffon.

O sentido da vida: Uma brevíssima introdução
Autor: Terry Eagleton | Páginas: 146 | De R$ 52 por R$ 39

“Os filósofos têm o hábito irritante de analisar perguntas em vez de respondê-las”, escreve Terry Eagleton, que, nestas páginas, faz a pergunta mais importante que qualquer um de nós já fez e tenta respondê-la. Qual é, pois, o significado da vida? Nesta investigação astuta, espirituosa e estimulante, Eagleton mostra de que maneira pensadores ao longo dos séculos – de Shakespeare e Schopenhauer a Marx, Sartre e Beckett – resolveram a questão. Recusando-se a se contentar com o insosso e monótono, Eagleton revela – com uma mistura de humor e rigor intelectual, muitas vezes irreverente, mas com um objetivo muito sério em mente – de que maneira a questão se tornou particularmente problemática nos tempos modernos.  

Ética: Uma brevíssima introdução
Autor: Simon Blackburn | Páginas 200 | De R$ 52 por R$ 39

Diariamente, ainda que muitas vezes sem se dar conta, o ser humano é posto diante de ponderações e até de dilemas de natureza ética e moral. Bem-humorado e acessível, este livro combina profundidade, rigor e apuro estilístico para abordar as principais questões que tensionam o debate de temas como nascimento, morte, felicidade, desejo e liberdade, trazendo à reflexão o próprio significado da vida e pregando a desconfiança diante de verdades absolutas contidas nas frases de efeito que muitas vezes impregnam os debates morais.

Aspectos do novo radicalismo de direita
Autor: Theodor W. Adorno | Páginas: 104 | De R$ 32 por R$ 24

"Quem não quer falar do capitalismo, deveria calar-se sobre o fascismo.” Essa frase de Horkheimer, extraída de um texto clássico redigido durante a Segunda Guerra Mundial, ainda ressoa nesta análise adorniana de um novo radicalismo de direita que começa a emergir  na Alemanha dos anos 1960. Como explicar tal aberração política no seio de uma democracia supostamente bem-consolidada, no auge da “era dourada” do capitalismo europeu? Conforme a boa tradição materialista, Adorno insiste em afirmar que tal fenômeno é menos um sinal de loucura, tolice ou “desinformação”, e mais um sintoma de uma transformação social objetiva em curso. Como um fantasma naquela sociedade pacificada, o potencial fascista aparece então como nada mais nada menos que uma transfiguração ideológica da teoria do colapso de Marx.

Enciclopédia ou Dicionário razoado das ciências, das artes e dos ofícios (6 volumes)
Autores: Denis Diderot, Jean Le Rond d'Alembert | Organizadores: Pedro Paulo Pimenta e Maria das Graças de Souza | De R$ 86 por R$ 64,50 cada volume. Os 6 volumes juntos estão com 30% de desconto: de R$ 468 por R$ 327,60

Pode-se pensar na Enciclopédia, ou Dicionário razoado das ciências, das artes e dos ofícios como um objeto de desejo intelectual que enriquece qualquer biblioteca. E o tem sido desde junho de 1751, um best-seller longevo e símbolo do saber. Sendo a base do Iluminismo, também se constitui em fonte de consulta valiosa para compreender como o primado da razão e do progresso associado ao trabalho sucedeu ao domínio religioso e monárquico. Mas este monumento da civilização Ocidental é igualmente um documento moderno, que pode servir de inspiração para discutir as formas de organização do conhecimento na Era da informação digital. 

Júbilo ou os tormentos do discurso religioso
Autor: Bruno Latour | Páginas: 144 | R$ 40 por R$ 30 

Após os trabalhos de Bruno Latour em ciência, tecnologia e, mais recentemente, em direito, este livro explora em profundidade os atos da fala religiosa. Embora não haja dúvida de que a religião tenha sido intensamente valorizada no curso da história, também está claro que se tornou imensamente difícil sintonizar seu modo altamente específico de enunciação. Todo esforço para falar com a tecla certa parece estranho, reacionário, piedoso ou simplesmente vazio. Daí a necessidade de criar uma maneira de escrever que ponha em evidência essa forma de falar tão difícil de descrever para torná-la audível novamente. Neste livro, o autor oferece uma abordagem original sobre os conflitos intermináveis entre ciência e religião, protegendo-os da confusão com a noção de informação.

Estudos sobre a personalidade autoritária
Autor | Theodor W. Adorno | Páginas: 597 | R$ 100 por R$ 75

A presente edição em português dos 'Estudos sobre a personalidade autoritária', de Theodor W. Adorno, é resultado de uma seleção de textos da obra original de quase mil páginas intitulada 'The Authoritarian Personality', escrita por Adorno, Levinson, Sanford e Frenkel-Brunswik e publicada em 1950 nos Estados Unidos. Os textos que compõem o presente livro debatem como, em plena Segunda Guerra Mundial, o fascismo não era um episódio isolado, mas estava presente de forma latente em amostras da população norte-americana da época. Sua base de argumentação procura expor como o autoritarismo mantém relações profundas com o “clima cultural geral” do modo capitalista de organização socioeconômica – o que preserva a atualidade dessa investigação.

O Sobrinho de Rameau
Autor: Denis Diderot | Páginas: 183 | De R$ 48 por R$ 36

"O Sobrinho de Rameau", obra que fascinou Goethe, Hegel, Engels e Freud, alcançando um status literário-filosófico de destaque na obra de Diderot, representa com maestria o ambiente cultural da Paris do começo da segunda metade do século XVIII. Em clave ágil e irônica, traz à luz discussões filosóficas caras aos iluministas e incrementa com sutileza o embate intelectual característico da época. Sempre preservando o esmero estilístico, estrutura-se assim uma resposta ampla dos enciclopedistas a seus detratores.

Para a reconstrução do materialismo histórico
Autor: Jürgen Habermas | Páginas: 512 | De R$ 98 por R$ 73,50

Oferecendo uma forma específica de pensar o materialismo histórico, este livro constrói novas perspectivas em relação ao estágio moderno do capitalismo e suas crises, ao mesmo tempo que vislumbra possibilidades reais de uma vida em sociedade mais democrática e emancipada.

Exercícios (Askhmata)
Autor: Shaftesbury | Páginas: 192 | De R$ 56 por 42

Para Shaftesbury, a filosofia, por estar enraizada no que é propriamente humano, ou melhor, no que torna o homem membro de uma ordem natural maior do que ele mesmo, não é algo que se descubra fortuitamente. É resultado de um exercício de disciplina das paixões, de modulação dos sentimentos, de ajuste do corpo aos ditames da razão. Exercício que se realiza na linguagem através da qual o pensamento adquire vida e se torna formador. Estes Exercícios, escritos em prosa límpida, são o testemunho de como o próprio Shaftesbury veio a se tornar filósofo - um dos grandes de sua época, pronto para ser redescoberto pela nossa como um verdadeiro clássico. 

Eclipse da razão
Autor: Max Horkheimer | Páginas: 208 | De R$ 56 por R$ 42

Em meados da década de 1940, o filósofo alemão Max Horkheimer questiona como evitar que a barbárie, representada pelo nazifascismo e então recentemente derrotada na Europa, retorne ao Ocidente. Para ele, o avanço dos meios técnicos de esclarecimento foi acompanhado por um processo de desumanização, de modo que o progresso ameaça anular o próprio objetivo que deveria realizar: a ideia de homem. Seu objetivo declarado é “investigar o conceito de racionalidade subjacente à nossa cultura industrial contemporânea, a fim de descobrir se esse conceito não contém defeitos que o viciam em sua essência”. Horkheimer toma como ponto de partida a diferenciação entre razão subjetiva e razão objetiva, sendo que a primeira se relaciona à faculdade de calcular probabilidades, de coordenar os meios com um fim, enquanto a segunda remete ao problema do destino humano, à organização da sociedade e à maneira de realização de fins últimos. 

O mundo como vontade e como representação - Tomo II
Autor: Arthur Schopenhauer | Páginas: 824 | De R$ 148 por R$ 111

Ao articular, em 1818, o seu sistema filosófico em O mundo como vontade e como representação, Arthur Schopenhauer (1788-1860) contrapôs-se às correntes racionalistas do pensamento ocidental. Em 1844, o autor alemão retorna às mesmas questões metafísicas de sua obra mais conhecida, agora mais maduro, expressando-se com mais “liberdade e franqueza”, sem fazer tantas concessões às tradições universitárias, como revelou em uma correspondência pessoal. O resultado é esse Tomo II, cuja tradução, direta do alemão, realizada durante cinco anos pelo professor Jair Barboza, é lançada pela Editora Unesp, reeditando a parceria que resultou no Tomo I (2005). Essa obra pode ser entendida como uma nova forma que Schopenhauer encontrou para expor suas ideias filosóficas, aproximando a metafísica da psicologia. Esses “suplementos”, como o autor os denominava, não constituem tão somente uma revisão madura do texto da juventude, mas uma outra obra escrita desde a mesma estrutura, em que aprofunda a noção de representação: de que toda a existência objetiva das cosias depende do ser que as representa.

O mundo de Parmênides – 2ª edição: Ensaios sobre o iluminismo pré-socrático
Autor: Karl Popper | Páginas: 432 | De R$ 86 por R$ 64,50

O mundo de Parmênides é uma exploração brilhante da complexidade do pensamento grego antigo por um dos principais filósofos do século XX. Evidenciam-se aí a grandeza da filosofia pré-socrática e a substantiva dívida de Popper para com a leitura de Parmênides, Xenófanes e Heráclito.

Assessoria de Imprensa da Fundação Editora da Unesp
imprensa.editora@unesp.br