A liberdade dos cultos religiosos

Notícia
Notícias
terça-feira, 2 de janeiro de 2018

"É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias”, artigo 5° da Constituição de 1988. 

O livre exercício da religião é assegurando por lei. A primeira medida sobre o tema ocorreu em 7 de janeiro de 1890, decreto assinado pelo primeiro presidente do Brasil após a Proclamação da República, Marechal Deodoro da Fonseca.

Em homenagem ao decreto é comemorado em 7 de janeiro o Dia da Liberdade de Cultos. Anos mais tarde, em 1946, o escritor baiano e deputado federal por São Paulo, Jorge Amado, propôs uma Carta Magna que reafirmava a importância da liberdade de cultos no país. “Ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa, convicção filosófica ou política”.  

Em tempos de intolerância religiosa, a Editora Unesp reforça o Dia da Liberdade de Cultos como uma oportunidade para refletir sobre a aceitação das diferentes crenças. Para tanto, oferece 20% de desconto em todo seu catálogo de Religião. A promoção é válida até 10 de janeiro. Confira aqui a relação completa e alguns livros abaixo:  

O zelo de deus
Autor: Peter Sloterdijk | Páginas: 207 | De R$ 42 por R$ 33,60

Quais são os conflitos entre as três religiões monoteístas?Neste livro, são abordadas as questões sociopolíticas e psicodinâmicas que contribuíram para o surgimento da crença em um único deus e as formas dialógicas e conflituosas que podem ser assimiladas nos três monoteísmos – cristianismo, judaísmo e islamismo. 

Introdução às religiões chinesas
Autor: Mario Poceski | Páginas: 384 | De R$ 69 por R$ 55,20

Embora existam muitos estudos especializados sobre diversos aspectos da história religiosa, literatura, doutrina e prática chinesas, há uma escassez de livros que ofereçam um tratamento amplo das religiões chinesas e que abordem o contexto mais abrangente. Este volume se destina a atender a uma necessidade evidente de apresentações gerais ou livros que cubram todo o campo das religiões chinesas.

O islamismo explicado às crianças
Autor: Tahar Ben Jelloun | Páginas: 104 | De R$ 28 por R$ 22,40

Como Maomé tornou-se chefe de uma religião? O que é uma Casada Sabedoria? No passado, os árabes inventaram muita coisa; e hoje em dia, eles não inventam mais nada? Essas são algumas das perguntas que Tahar Ben Jelloun toma como ponto de partida para apresentar as características essenciais da civilização árabe. Seu objetivo não é convencer ou defender um ponto de vista religioso, mas contar a história de uma religião e de uma civilização que deram grandes contribuições à humanidade.

Sociologia das religiões
Autor: Jean-Paul Willaime | Páginas: 216 | De R$ 38 por R$ 30,40

Percorrendo um caminho que vai das abordagens de Weber e Durkheim aos debates atuais sobre as questões religiosas, esta obra mostra que as religiões são fatos sociais cuja análise permite compreender melhor as sociedades e sua evolução. O objetivo do autor é apresentar o modo como se construiu, ao longo do tempo, um campo de estudo particular: a sociologia das religiões.

Espiritismo e religiões afro-brasileiras
Organizadores: Artur Cesar Isaia e Ivan Aparecido Manoel | Páginas: 344 | De R$ 60 por R$ 48

Assinados por historiadores e cientistas sociais, os textos deste livro abordam as nuances de cada tempo na trajetória do espiritismo. A obra percorre outros países e épocas em busca de exemplos que lancem luz sobre o cruzamento do espiritismo com as religiões de origem africana. Ao longo das páginas, um universo de caboclos, pretos-velhos, exus, marinheiros, sereias, soldados e entidades vindas do oriente revelam as características marcantes do que se pode chamar de um “espiritismo brasileiro”. 

Assessoria de Imprensa da Fundação Editora da Unesp