Abre alas para a Música Popular Brasileira

Notícia
Notícias
quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Em 17 de outubro comemora-se o Dia Nacional da Música Popular Brasileira. A data, em vigor desde 2013, de acordo com a lei nº 12.624, é uma homenagem ao nascimento da primeira compositora popular brasileira, Chiquinha Gonzaga, no ano de 1847, no Rio de Janeiro.  Considerada uma mulher à frente de seu tempo, Chiquinha Gonzaga além de inovar nos ritmos de suas músicas, como na marcha de Carnaval "Ô Abre Alas" também atuou em diversas causas sociais.

Para homenagear a data, a Editora Unesp oferece 20% de desconto em diversos títulos sobre música. A campanha é válida até 19 de outubro. Confira abaixo: 

Samba e identidade nacional 
Autor: Magno Bissoli Siqueira | Páginas: 296 | De R$ 64 por R$ 51,20

A obra investiga as raízes desse gênero musical tornado símbolo de um povo em meio ao projeto varguista de Estado nacional. Magno Bissoli Siqueira intercala referências a historiadores clássicos com análises detalhadas de partituras e gravações para mostrar como o samba, de marginalizado e proibido, transformou-se na música-símbolo do Brasil. 

Música e universidade na cidade de São Paulo
Autora: Sonia Alem Marrach | Páginas: 272 | De R$ 54 por R$ 43,20

Uma viagem pela música e pela atividade intelectual de Paulo Vanzolini, Arrigo Barnabé, Luiz Tatit, José Miguel Wisnik e Arthur Nestrovski, Música e universidade na cidade de São Paulo mostra como esses compositores professores desenharam um novo cenário na produção musical paulistana e colocaram-na em evidência tanto na academia quanto nos meios musicais mais evidentes. 

Música informal brasileira
Autor: Paulo Celso Moura | Páginas: 264 | De R$ 54 por R$ 43,20

Neste livro, Paulo Celso Moura apresenta o conceito de “Música informal brasileira”. Cunhada pelo autor, esta ideia, base de sua pesquisa, é utilizada para definir as produções de experimentações com a linguagem musical, contribuindo de algum modo para novas formas de ouvir, pensar e realizar música. 

Brutalidade jardim  
Autor: Christopher Dunn | Páginas: 264 | De R$ 54 por R$ 43,20 

No final da década de 1960, artistas brasileiros consolidaram um movimento cultural divisor de águas conhecido como Tropicália. Atualmente, a música inspirada por esse movimento tem recebido considerável atenção tanto no Brasil quanto no exterior. Poucos novos ouvintes, contudo, conhecem a relação entre essa música e as circunstâncias por trás de sua criação, a fase mais violenta e repressiva do regime militar que governou o Brasil de 1964 a 1985. Com importantes manifestações no teatro, cinema, artes visuais, literatura e especialmente na música popular, a Tropicália articulou com dinamismo os conflitos e aspirações de uma geração de jovens brasileiros urbanos. 

Confira abaixo outros títulos relacionados:

Música- 3ª edição, de Yara Borges Caznok (248 páginas, de R$ 52 por R$ 41,60)

A Gazeta Musical, de Clarissa Lapolla Bomfim Andrade (264 páginas, de R$ 52 por R$ 41,60) 

Introdução à teoria pós-tonal, de Joseph Nathan Straus (312 páginas, de R$ 64 por R$ 51,20)  

Harmonia- 2ª edição, de Arnold Schoenberg (584 páginas, de R$ 98 por R$ 78,40)  

O ouvido pensante – 2ª edição, de R. Murray Schafer (408 páginas, de R$ 60 por R$ 48)  

A afinação do mundo – 2ª edição, de R. Murray Schafer (384 páginas, de R$ 69 por R$ 55,20)   

Vigor criativo, de José Ivo da Silva (184 páginas, de R$ 46 por R$ 36,80)    

Carlos Gomes: um tema em questão, de Lutero Rodrigues (344 páginas, de R$ 58 por R$ 46,40) 

Introdução à Sociologia da Música, de Theodor W. Adorno (424 páginas, de R$ 64 por R$ 51,20)

Da música – 2ª edição, de Maria de Lourdes Sekeff (192 páginas, de R$ 38 por R$ 30,40) 

Aberturas e impasses, de Paulo de Tarso Salles (264 páginas, de R$ 50 por R$ 40)  

Assessoria de Imprensa da Fundação Editora da Unesp