Dia Nacional das Artes homenageia as mais variadas formas de cultura no país

Notícia
Notícias
quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Flora e fauna brasileira (1934) - Cândido Portinari

O Dia Nacional das Artes é comemorado anualmente em 12 de agosto. A data surgiu da regulamentação da profissão de artista e técnico em espetáculos de diversões, além de mais de 100 outras funções que também podem estar inseridas no que seria considerado um trabalho artístico. 

Com sua multiplicidade de formas, a arte brasileira constitui uma importante expressão cultural de nosso país. Para homenagear nossos artistas e a quem se interessa por usufruir de sua produção, a Editora Unesp sugere, dentre os títulos de seu catálogo, diversos títulos que abordam a obra de arte em suas múltiplas manifestações. Confira abaixo: 

Arte virtual
Autor: Oliver Grau | Páginas: 472 | R$ 105,00

A obra de Oliver Grau é uma análise histórica comparativa de como a arte virtual se encaixa na história da arte da ilusão e do realismo. Oferecendo um estudo criterioso da evolução dos espaços virtuais imersivos, Grau reexamina o termo imagem para refletir a respeito das implicações dos ambientes virtuais simulados por computador.

Palhaços
Autor: Mário Fernando Bolognesi | Páginas: 296 | R$ 52,00

Resultado de uma pesquisa bibliográfica e empírica, com viagens por grande parte do Brasil, este livro não só preenche uma lacuna acadêmica sobre a história do cirso e a atividade dos palhaços brasileiros, como também nos faz voltar um pouco à infância, pois estuda a arte do palhaço tal como ela é no circo nacional, tomando como base a dramaturgia, a interpretação e a encenação. O livro realiza ainda uma recuperação bibliográfica de parte da história do cirso moderno, com uma investigação das origens dos palhaços, suas influências e aproximações com o teatro. Nesse sentido, inclui a reprodução escrita de toda uma tradição oral de esquetes e entradas, fornecendo um material inédito para pesquisadores e artistas.

Cinematographos: antologia da crítica cinematográfica 
Autor: Guilherme de Almeida | Organizador:  Donny Correia e Marcelo Tápia | Páginas: 679 | R$ 95,00

Crítica cinematográfica: uma vertente - hoje quase desconhecida - da produção do poeta modernista Guilherme de Almeida (1890-1969) que certamente causa uma grata surpresa ao leitor. Por meio dela, aqui representada por 218 textos, publicados entre 1926 e 1942 no jornal O Estado de S. Paulo, é possível reviver o período de transição entre a "arte do movimento silencioso" e o filme falado, bem como a presença pujante dos cinemas em São Paulo nas primeiras décadas do século XX e sua importância no cotidiano cultural da cidade.

Ditadura em imagem e som
Autora: Caroline Gomes Leme | Páginas: 336 | R$ 60,00

Produto da dissertação de mestrado vencedora do Concurso Brasileiro Anpocs de Obras Científicas e Teses Universitárias (2012), o livro busca apreender os enunciados sociais e culturais construídos sobre o regime militar para analisar de que forma o cinema ressignificou e vem ressignificando o passado, verificar questões ainda obscurecidas, ambiguidades e tensões presentes na interpretação do processo histórico. “Trata-se, assim, de apreender os filmes como “intérpretes” do passado a partir de seu lugar no presente, procurando compreender como a sociedade concebe a si mesma e a seu passado, dentro dos limites e condições de seu tempo”, diz a autora.


Estado e cinema no Brasil
Autora: Anita Simis | Páginas: 304 | R$ 64,00

O objetivo do livro não é retraçar a relação entre Estado e cinema no Brasil até o momento presente, mas sim identificar e comparar tal relação em dois momentos políticos distintos, o regime autoritário e a democracia. São trabalhados em detalhe os aspectos políticos relacionados à economia e à legislação cinematográfica. O leitor interessado em cinema brasileiro encontrará nesta terceira edição ampliada do estudo de Anita Simis profunda reflexão e pesquisa sobre o desenvolvimento pregresso do cinema brasileiro, que são preciosos insumos para a análise do atual momento da nossa indústria cinematográfica.

Arthur Bispo do Rosário
Autora: Marta Dantas | Páginas: 224 | R$ 66,00)

Este livro de Marta Dantas sobre a vida e a obra de Arthur Bispo do Rosário fará o leitor pensar, sobretudo aquele que estiver habituado às tradicionais monografias sobre artistas cultos que têm lugar indiscutível na história da arte. Respeitando a particularidade da poética bruta a ser estudada, a autora analisa os objetos, as miniaturas, os escritos, as vestimentas, os bordados e o principal trabalho do artista, o Manto da apresentação, que é a "síntese da mitopoética do artista, de uma vida transformada em ilusão"; e articula Ciências Humanas, Estética e História da Arte, numa perspectiva refinada que transcende o convencional.

Confira abaixo outros títulos relacionados: 

Da música – 2ª edição, de Maria de Lourdes Sekeff (Páginas: 192, R$ 38,00)

Exercícios do olhar, de Carmen Sylvia Guimarães Aranha (Páginas: 112, R$ 30,00)

Inclusão social e cultural, de Gabriela Suzana Wilder (Páginas: 168, R$ 40,00)

A dramaturgia e a encenação no espaço não-convencional, de Evill Rebouças (Páginas: 224, R$ 48,00)

Teorias do teatro, de Marvin Carlson (Páginas: 535, R$ 88,00)

O Van Gogh feliz, de Oscar Alejandro Fabian D´Ambrosio (Páginas: 144, R$ 48,00)

Do lugar de onde se vê, de Carlos Avelino de Arruda Camargo (Páginas: 104, R$ 30,00)

A grande arte da luz e da sombra, de Laurent Mannoni (Páginas: 514, R$ 98,00)

Humberto Mauro e as imagens do Brasil, de Sheila Schvarzman (Páginas: 400, R$ 66,00)

A arte no século XXI, organizado por Diana Domingues (Páginas: 376, R$ 68,00) 

Arte, escola e cidadania, coordenado por Zita Pimentel (Páginas: 112, R$ 28,00)

Theatro paulista, de Paulo Roberto Masseran (Páginas: 268, R$ 56,00)

Dô- Caminho da arte, organizado por Cecília Kimie Jo Shioda, Eunice Vaz Yoshiura e Neide Hissae Nagae (Páginas: 184, Download gratuito)

Assessoria de Imprensa da Fundação Editora da Unesp